Seja a sua melhor companhia e seja feliz!

Seja a sua melhor companhia e seja feliz! Ao longo da vida aprendemos que as nossas escolhas conduzem ao que será mais tarde a nossa própria história. E saber escolher as nossas companhias nesta trajetória é essencial para que possamos construir uma vida de paz e felicidade. De todas as companhias que a vida pode nos trazer, existe uma que nunca nos deixará e sempre irá querer a nossa felicidade, nós mesmos!

Durante a construção desta história somos expostas às diversas pessoas, que durante um período curto ou longo se tornam nossas companhias e que constroem um pedaço da nossa história. Companhias que nos serão apresentadas na escola, trabalho, bairro, grupo da igreja, escola de música, faculdade, enfim, pessoas que entrarão na nossa vida e contribuirão para a formação da nossa história perante à sociedade. Mas será que é possível escolher as pessoas que farão a diferença na nossa vida? Sim, o encontro é feito pelo universo, mas à escolha de compartilhar experiências é nossa.

De tantas companhias que passarão por nossa vida, aprender a ser a nossa melhor companhia é fundamental, porque estar rodeados de pessoas é importante, mas nem sempre será possível. Passamos por vários ciclos e um destes ciclos, temos o encontro de nós com nós mesmos, e neste momento precisamos estar bem azeitadas conosco e saber nos amar em primeiro lugar. É uma grande oportunidade de nos conhecer e fazer uma reflexão sobre como é incrível nos ter como uma companhia ímpar, especial e que ninguém poderá nos tirar.

Buscar a felicidade diária deve ser meta e ser feliz uma certeza!

Fonte imagens: https://pixabay.com

Siga-nos 🙂

O que você faria se soubesse que irá morrer no dia 23/01/2021?

Guarde esse pensamento. Vamos caminhar um pouco antes de você expor sua resposta. Faremos este caminho a partir de uma pergunta semelhante. Se te contam o fim de um filme, ou se te dizem o que encontrará no fim de uma caminhada, o filme e a trilha já não fazem sentido?

O fim ou a chegada, muitas vezes parece ser a única parte que interessa na jornada, mas um filme fica distante de seu proposito se assistido somente pela ultima cena. Assim como um livro lido somente o último capítulo, porém uma trilha árdua e penosa pode ser substituída por uma carona e assim pode-se curtir de pronto a cachoeira que existe no fim, quase sem prejuízo, certo?

Afinal, o que difere as duas experiências, a cachoeira é boa com atalho e o filme não? Saltar todo o filme ou assisti-lo em modo acelerado para curtir apenas a ultima cena, onde toda a trama se resolve ou folear um livro e ler somente o último capítulo não é diferente de pegar uma carona para passar rapidamente pela trilha e viver apenas a cachoeira. O que se faz nas três experiências é deixar de viver completamente a jornada, valorando apenas o fim ou a chegada. Em tempos cada vez mais acelerados, a tentação de se pular etapas ou acelerar experiências é cada vez maior. A ânsia por chegar ao fim de algo, por acreditar que lá é onde se encontra a felicidade, o relaxamento, e a paz, faz com que deixemos de viver as belezas do dia-a-dia e o do caminho.

Logo, fazer as melhores escolhas é sempre importante, pois muitas vezes não poderemos caminhar todas as trilhas, nem ler todo os livros ou assistir a todos os filmes. Desta forma, nossa sugestão é: viva por inteiro as jornadas que você pode viver e aproveite as cachoeiras no fim da trilha. Nem sempre você poderá chegar a cachoeira pela trilha, por vezes precisará de carona e se esse momento chegar, curta a carona e no fim se esbalde na cachoeira. Todos os momentos podem ser incríveis, basta estar aberto a eles.

A chegada é um passo significativo, mas ela é só mais um passo da jornada e nem sempre é o maior ou mais importante.

Voltando a nossa pergunta do início. Acredito que se soubesse quando iria finalizar sua jornada nesta vida, você escolheria viver cada passo dela e não acelerar o filme para ver logo o fim.

 

Siga-nos 🙂

Se penso em me separar, porque me casar?

É bastante contraditório, mas se penso em me separar, porque me casar? Sabemos que o casamento é um momento muito esperado por um casal que se ama, afinal estão dispostos a dividir toda uma vida, compartilhando momentos bons e ruins. Mas, cada dia que passa, os casais estão se casando e logo se separando e aí fica uma pergunta no ar: Por que se casam então? Para se realizarem perante a sociedade? Pressão da família? Uma tentativa de não ficar sozinho? Solidão? Moda?

Complicado julgar o que leva um casal a se separar, mas a dissolução conjugal passou a ser tão comum, que muitas pessoas não acreditam mais que uma união funcione. Tudo se tornou tão “nem aí”, que o casamento passou a ser para muitas pessoas uma aventura, uma tentativa de dar certo, mas se não der, ok. E não que devamos fazer uma tempestade em copo d’água, mas termos cuidado com o sentimento do outro, agirmos com respeito e muito amor, sempre.

E com tantas separações ocorrendo no mundo, várias reflexões veem a mente, como:

  • será que as pessoas separam porque acabou o amor?
  • será que elas nunca se amaram, e se casaram por uma pressão da sociedade?
  • será que uma das partes fez um tipo de assédio moral?
  • será que uma outra pessoa é o motivo da separação?
  • será que a falta de liberdade trás a tona a necessidade de estar só?
  • será que não ter amigos leva a uma união, que na verdade nunca deu certo?
  • será que as pessoas agem apenas com a emoção e esquecem da razão?
  • será que as pessoas tem medo de ficarem sozinhas?
  • será que nunca existiu felicidade?

Enfim, muito podemos pensar, mas sem dúvida cada caso é um caso, mas o que temos que refletir é que nos amarmos em primeiro lugar e respeitar o outro, fará com que tomemos uma decisão mais coesa e que nos permitirá continuarmos a vida felizes, libertos e sem culpa.

Razões que levam um casal a se separar:

  1. Desgaste da Vida A2

    Cerca de 37% das pessoas afirmam que se separaram pelo cansaço da convivência, uma espécie de fastio, de tédio que elas sentem em função dos anos e anos de relacionamento rotineiro.

2. Traição

A infidelidade responde por 21% das separações. Ela pode começar com um simples olhar, um pensamento, uma conversa despretensiosa, e no final destruir famílias.

  1. Dinheiro

Para muitos, é a maior causa de separações entre os casais: o Dinheiro. O vil metal, se utilizado adequadamente, é bem-vindo, se desperdiçado, pode gerar conflitos graves no casamento.

  1. Pessoas Diferentes

    A união de seres singulares, criados em famílias distintas, com histórias desiguais, que passaram a dividir uma vida juntos, 24 horas por dia, só será possível se essa dessemelhança for respeitada, tolerada e, acima de tudo, conversada, discutida constantemente.
  2. Falta de Comunicação

Entre eles há pouca conversa sobre aquilo de que gostam, do que não gostam, sobre suas preferências ou dissabores. Enfim, é frequente a omissão de sentimentos essenciais para a manutenção de um casamento saudável, o que é péssimo para o bem-estar da relação.

  1. Falta de Intimidade

Marido e mulher precisam estar próximos. Precisam ser, antes de tudo, muito amigos. Devem se ajudar nos momentos de dificuldade. Em desafios profissionais, na criação dos filhos e em afazeres simples, como nas tarefas domésticas, tradicionalmente destinadas às mulheres. Não ter esse suporte do companheiro faz com que a confiança nele encolha e, não raro, ficar sozinho se torna uma opção mais vantajosa.

  1. Falta de Apoio

Um casal deve apoiar-se, seja nos afazeres de casa, seja nos desafios profissionais.

  1. Convivência com um Companheiro Derrotista, ou seja,“negativo”

Relacionar-se com alguém requer determinadas habilidades, como a paciência, mas ela tem limites. Imagine conviver com uma pessoa que reclama de tudo, o tempo todo? E por mais que se tente agradar, nada está bom.  E de quem é a culpa por tudo estar ruim? Dos outros!

  1. Excesso de Controle 

Muitas mulheres fiscalizam ou pelo menos tentam fiscalizar a vida de seus maridos. Fazem verdadeiros inquéritos do tipo: Onde você está? Com quem está? A que horas chega? Vem por onde? Comeu o quê? Esse controle também é comum por parte dos homens, principalmente quando veem suas esposas mais arrumadas, querendo sair com as amigas.

  1. Vida Sexual dos Casais

Eis um ponto que merece atenção especial dos cônjuges. Um relacionamento longo não significa estabilidade, não significa estar livre de desmoronamento; relacionamentos recentes ou duradouros podem não ser eternos se marido e mulher não se preocuparem em estimular o sexo no casamento.

  1. Violência
    O décimo primeiro ponto a destruir matrimônios não deveria fazer parte da realidade de nenhum casamento, mas infelizmente é comuníssimo encontrá-lo nos lares de qualquer classe social: aviolência.

Muitas vezes a violência não chega a ser física, permanecendo no âmbito verbal, mas, ainda assim, ela pode doer tanto quanto a física ou até mais, porque palavras ditas com raiva, em momentos inapropriados, por pessoas amarguradas e frustradas só tendem a ferir gravemente o outro.

  1. Falta de um Sonho em Comum

Como viver junto e não ter os mesmos sonhos, e não planejar o futuro, e não ter um horizonte em comum?

Fonte: https://sucessonocasamento.com

Sabemos que não existe relacionamento perfeito, mas é preciso que o casal que se proponha a viver uma vida juntos, tenha respeito, paciência, confiança e muito amor um pelo outro, afinal esses são os pilares para que o casamento dure e seja saudável, sincero e harmonioso. Os pontos descritos acima, valem de atenção para que possamos pensar se realmente não estamos contribuindo para uma separação. Zelar dia a dia pela união e valorizar a pessoa que está ao seu lado, é fundamental para que uma união de paz e amor vire rotina.

E que seja eterno enquanto dure esse amor…que dure até que os corações estejam cansados de tanto amor!

Fonte imagens: https://pixabay.com

Siga-nos 🙂