Uma cerveja com os peregrinos amigos.

Já na hospedaria vamos relaxar um pouco, conhecer os novos peregrinos amigos na noite anterior a grande caminhada rumo a Santiago e a auto-descoberta.

Não se esqueçam de sugerirem, criticarem e participarem da construção deste livro que representa cada peregrino em suas jornadas pessoais.


Uma cerveja já espera por mim a mesa. Agora devidamente instalado estou tranqüilo, estava preocupado pois não sabia se a minha reserva na pensão ainda estaria ativa e se não tivesse mais reserva será que teria albergue para passar a noite? Outra duvida que tinha era se teria de vir sozinho a Saint-Jean, isso me preocupava, pois seria bastante oneroso, mas enfim, tudo saiu como deveria e posso brindar ao sucesso da primeira etapa.

Passadas as tensões começo a relaxar e prestar mais atenção aos meus novos amigos. Ainda me impressiona o tamanho da mochila de Boyco, mas talvez ele esteja certo em trazer um mochila bem compacta, mas nem saco de dormir ele tem, ao menos acho que não. Ele tem uma fala mansa e conta que resolveu fazer o caminho a pouco tempo, imagino que por este motivo tenha uma mochila tão pequena, ele também diz que gosta muito de caminhar. Torres por sua vez é bombeiro em Marselha e não é a sua primeira vez no caminho. Torres tem aparência jovem e sempre carrega um sorriso no rosto e tem uma energia boa. A cerveja chega ao fim e é hora de sairmos para conhecer a pequena cidade. A cada passo ela fica mais charmosa e aconchegante, uma sensação de relaxamento me invade em meio a ruas adornadas por flores, arvores, arbustos e trepadeiras bem diferentes das que conheço. A arquitetura é detalhista e de muito bom gosto. Caminhamos um pouco mais e com alegria encontramos um restaurante onde na fachada vejo uma bandeira em verde e amarelo e convido os meninos a experimentarmos o lugar, eles aprovam a idéia sem restrição.

Pergunto da bandeira estendida a frente do restaurante e ele nos informa que é de um dos atendentes, mas que ele estaria de folga naquele dia. O lugar é agradável e pedimos o nosso primeiro menu do peregrino. O menu do peregrino é oferecido ao longo de todo o caminho em inúmeros restaurantes, inclusive os das grandes cidades, ele é composto por uma entrada, prato principal e sobremesa, sempre acompanhados de uma cesta de pães, água e ou vinho e tudo isso a um custo médio de dez euros. Os pedidos que fizemos a pouco não demoraram a chegar e logo estamos os três estufados de tanto comer e beber. Hora de me despedir e descansar para a jornada de amanhã.

Siga-nos 🙂

Autor: Junior de Castro

Viciado em pessoas, ainda em construção e sempre em busca de mais empatia. Cozinheiro, aprendiz de aquarela e com ideias para dividir :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *