Não existe renovação sem desapego!

Não existe renovação sem desapego, isto é uma grande verdade que só aprendemos quando crescemos e percebemos na prática o quanto é essencial renovar para abrir novos caminhos, e praticar o desapego é um grande exercício para começarmos a nossa renovação.

Mexendo em um armário, a procura de um par de sapatos, descobri cerca de seis pares de sapatos que há uns bons 3 anos não usava, mas me questionei: “Por que já não me desapeguei deles?” E a resposta, sinceramente, não encontrei, mas mesmo depois de tanto tempo guardando os sapatos que não uso mais, resolvi retirá-los do armário e doá-los para quem realmente precisa.

O importante é agir para que a renovação comece e isto só depende de você!

Apenas dei um exemplo de alguns pares de sapatos, mas se pararmos uns minutos para responder à uma pergunta, podemos ficar perplexos com a nossa resposta, e compreender um pouco o motivo pelo qual estamos sempre no mesmo lugar e nada parece mudar na nossa vida. Pare um minuto e se pergunte: Há quanto tempo eu não separo roupas, sapatos e casados para doação? Confesso que quando me fiz esta pergunta, percebi que fazia um tempo que não me preocupava em desapegar de coisas que já tiveram o seu tempo na minha vida e resolvi começar.

Desapegar, e neste caso estamos falando de coisas materiais, não é uma tarefa fácil. Quem nunca se apegou à uma blusa que já está bem surrada? A um conjunto de pratos de 20 anos atrás? A uma sandália linda? A um carro que já está pedindo outro dono? Sim, todos nós vivemos apegados à coisas e principalmente às “nossas” coisas e não que esteja errado, temos sim que cuidar e dar muito valor as coisas que compramos com muito sacrifício, ou de um presente que recebemos que tem um valor memorável para nós, mas o que não podemos fazer é nos deixar levar pelo excesso de apego. É preciso sim, começar a nos desapegar para que possamos sim renovar as coisas materiais e consequentemente toda a nossa vida, que precisa de tempos em tempos de uma “limpeza”.

Desapegar é um exercício de paciência, de amor, de liberdade, sugiro que você experimente fazê-lo e verás que a vida é uma troca.

Uma vez uma amiga me contou que estava passando por dificuldades para arrumar trabalho, e ela sempre foi ótima profissional, teve tudo do melhor, roupas de marcas e inúmeros sapatos, mas ela nunca havia percebido que ao longo da sua vida ela apenas acumulava coisas, só pensava em ter e ter, mas nunca se preocupou em “abrir novos caminhos”, em “ajudar o próximo”, e conversando sugeri que ela separasse alguns sapatos que não usava mais, uns vestidos, blusas e fizesse uma doação. Ela me escutou e meses depois ela me procurou e disse que não sabia o que tinha acontecido, mas depois que ela desapegou de tantas coisas que guardava, tudo na sua vida melhorou e o tão esperado trabalho apareceu. Enfim a sua vida voltou a fluir.

Não é mágica, é apenas uma troca que o universo se dispõe a fazer conosco, só depende de nós estarmos dispostos a “liberar” o caminho e abrir as portas da nossa vida para renovação.

E não deixe para depois se pode começar agora. Experimente praticar o desapego e verás que tudo na sua vida fluirá bem mais leve.

Fonte imagens: https://pixabay.com

Siga-nos 🙂

Karla Constantino

Mulher, mãe, bailarina, aventureira, amante por viagens, louca por novos desafios e apaixonada pela vida!

Um comentário em “Não existe renovação sem desapego!

  • 24 de junho de 2018 em 18:21
    Permalink

    Olhos Mouros

    A você

    Brotam-se safiras flor de lótus pôr do sol em domingo dos bens e tesouros
    Porque cidades abandonadas revelam eternos mares nos belos espraiados
    Os que não pensam miram estrelas no espaço dos astros tu Olhos Mouros
    Pura seda em fios dourados não sente vida nas pratas formas de coroados

    Na ilusão resguardam desejos infindos e cativos de nobres títulos de louros
    E vós sim paisagens dos campos de trigos jamais estão por eles lembrados
    Alvorada furta-se à lua por sol cabelos da seara cidade e deserto dos ouros
    Estes trouxestes do cansaço à sua volta de além e de aquém tão cativados

    Ai de mim! Infinitos Olhos Mouros bailam nos céus fontes das luas eternas
    Flor carmesim de som e dança no jardim de Espanha de secretas cisternas
    A voz do silêncio em exibição nos quadros exóticos com molduras surreais

    Luz da praia de canções do vento cais nas areias do mar ao certo breu céu
    Então amarei Olhos Mouros sol que deita-se à cama de rosas de ensejo léu
    Semelhante aos trigais de grandes valores nos tons das douradas íris fatais

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *