Gestor abusivo!

Desde pequenos somos incentivados à estudar para que possamos nos tornar excelentes profissionais e donos do nosso próprio nariz. Começamos a trabalhar e de repente estamos diante de uma situação nunca antes vivida, conviver com um gestor abusivo, mas afinal, como lidar com esse tipo de gestor? 

Em dias em que tudo é crime, não podemos nos permitir ser vítimas de gestores abusivos, que utilizam do poder para manipular, até conseguirem tudo o que lhes convém, não importando utilizar do assédio moral para com os seus subordinados. Normalmente gestores abusivos não agem sozinhos e têm apoio da alta administração da empresa, que para não “perder” o contrato ou cliente, fingem estar com os olhos vendados e ouvidos tampados e permitem que o abuso se torne cada vez mais agressivo e duradouro para com o funcionário. Em muitos casos, o funcionário procura o seu superior direto ou o próprio RH da empresa para contar o que está ocorrendo e é surpreendido pelo pouco caso e uma “ameaça”, que o obriga a ficar calado e continuar a ser vítima destes gestores. 

Além de prejudicar o seu equilíbrio emocional, a convivência diária com um gestor abusivo também pode fazer mal para seu organismo. “O acúmulo de raiva ou tristeza sempre chega ao corpo”, “Liberamos o hormônio do estresse, o cortisol, e aí começam as alergias, disfunções estomacais, entre outros problemas fisiológicos”.  Sem contar no preço que a carreira pode pagar. “Um gestor abusivo frequentemente compromete o desenvolvimento profissional e as possibilidades de ascensão do funcionário dentro da empresa”. Afinal, uma grande dose de energia — que poderia ser usada para aprender e produzir mais — acaba sendo desperdiçada com conflitos interpessoais. [https://exame.abril.com.br/].

O funcionário que não se permite passar por isso, é visto como uma grande ameaça para a empresa, afinal fala do ocorrido para todos e procura se proteger com gravações, vídeos que, em um grau de não resolução do problema, são levados até a justiça. Estes funcionários são logo mandados embora ou colocados de lado nos projetos da empresa, afim de deixá-los o mais longe possível de outros funcionários.

Características de gestores abusivos

 – São autoritários – apenas mandam para que alguém obedeça.

– Sempre estão certos – não adianta provar nada, o que sempre irá valer é a sua “palavra”.

– Não respeitam horários – acreditam possuir escravos trabalhando para eles, e que podem exigir que trabalhem na hora que desejarem.

– Ameaçam demitir – caso uma negação seja dada a algum pedido, imediatamente ameaçam demitir o funcionário, utilizando do poder que possuem.

– Abusivos – usam até a última gota de sangue dos seus empregados, sem se preocupar com qualidade de vida.

– São manipuladores – através do assédio moral manipulam todos para agirem da maneira que lhes convém. 

Muitos gestores continuam a agir de maneira abusiva por não serem “podados” pelos próprios profissionais e pela alta direção, que diante de fatos abusivos acabam se calando. Os que sofrem abuso devem sim se posicionar e não permitir que este tipo de atitude continue ocorrendo. Por medo de represália, muitos profissionais precisam suportar este tipo de abusador e acaba se submetendo ao assédio, que a longo prazo pode ser prejudicial à vida de quem sofre.

Casos de estresse excessivo, agressividade, mudança de humor, depressão são algumas consequências do profissional que convive com gestores abusivos, que se calam e passam a viver reféns de uma vida desumana.

Todos precisam ter consciência que assédio moral é crime. Muitos gestores não têm profissionalismo e acabam ameaçando e até ridicularizando os seus funcionários, apenas para mostrarem o seu “poder”. Menosprezam, fragilizam, humilham, inferiorizam, perseguem, acusam injustamente.

Denuncie os gestores abusivos e não tenha medo de estar fazendo a coisa certa.

Segundo a revista Exame, algumas frases que ajudam a neutralizar as atitudes destes gestores:

1

Diante de um ataque nervoso ou “chilique”, espere. Na hora da “birra”, é melhor não dizer nada, porque o outro não vai ouvir. “Entenda que ele está fora de controle naquele momento e é melhor aguardar uma oportunidade mais adequada para abordá-lo.”

Na hora certa, diga algo como “Você pode me ajudar a entender como eu poderia ter feito isso melhor?. Quando você oferece ajuda e pede dicas para melhorar a sua própria contribuição, mostrará que está se colocando como parte da solução, e não do problema.

2

Diante de um xingamento direcionado a você, também é importante prestar atenção ao time. A melhor opção é não reagir imediatamente, porque a raiva e a tristeza podem prejudicar o seu raciocínio. A recomendação é respirar fundo e, na hora mais oportuna, pedir para conversarem em particular.

Em uma sala reservada, diga como se sentiu. “Como em todo bom feedback, comece falando sobre aspectos positivos da relação entre vocês”. “Depois, fale concretamente sobre a situação do xingamento e fale algo como ‘Não consigo dar o meu melhor quando você fala dessa forma comigo’”. Dizer simplesmente que você ficou ofendido não é suficiente; é preciso mostrar para o gestor que você não produzirá bem se ele continuar tratando você de forma rude.

3

Diante de uma crítica destrutiva ao seu trabalho, procure saber se existem evidências que comprovem que a sua entrega realmente estava ruim. Se for o caso, é importante ter humildade para reconhecer isso. “Precisamos filtrar o que há de valor na crítica e só então conversar com o gestor”.

Nessa conversa, é importante dizer algo como “Estou com dificuldade e gostaria da sua ajuda para fazer um curso ou receber dicas de um especialista”. Para não se desgastar ainda mais, vale ter serenidade para desconsiderar o aspecto destrutivo da crítica e não confrontar o gestor diretamente. A melhor resposta é mostrar que você não se ofende facilmente e está sempre disposto a aperfeiçoar sua entrega.

4

Diante de um gestor controlador e desconfiado, que quer ser copiado em todos os e-mails, pergunte a ele: “O que você quer saber especificamente todos os dias?”. Você também pode se oferecer para mandar as notícias e atualizações mais importantes do trabalho de tempos em tempos. O essencial é deixar tudo combinado, para evitar a repetição da cobrança.

5

Diante de um gestor autoritário, que não gosta de ser contrariado nem corrigido, colecione evidências de eventuais ideias contrárias às dele. Em algum momento, experimente dizer: “Andei fazendo pesquisas e encontrei algumas informações que podem enriquecer o nosso processo de tomada de decisão”.

É importante apresentar as divergências como complementos, porque isso elimina a sensação de que se trata de uma batalha de argumentos. “Ele continua sentindo que está no controle e que você está apenas oferecendo subsídios”.

6

Diante de um gestor viciado em trabalho, que fica irritado quando as pessoas não estão no mesmo ritmo, busque demonstrar entusiasmo pelas ideias que ele apresenta como forma de aplacar sua ansiedade.

Porém, quando ele exagerar nas cobranças, diga algo como: “Estou me dividindo entre os projetos A, B, C e D, e gostaria de saber qual deles você quer que eu priorize”. “Fazer esse tipo de pergunta ajuda a trazer foco para o seu gestor”. De uma forma muito gentil, você está fazendo com que ele entenda que não consegue dar conta de tudo.

7

Diante de um gestor rude, autoritário, centralizador e exigente ao extremo, que está acabando com a sua saúde e já está fazendo você pensar seriamente em pedir demissão, a saída pode ser mais radical. Se você já tentou de tudo, talvez valha uma última tentativa: dizer algo como “Estamos juntos há tanto tempo, mas vejo que nossa relação está desgastada. Você quer meu apoio para transpor esses desafios?”.

É uma forma de desafiá-lo, e ao mesmo tempo mostrar disponibilidade para ajudá-lo. “Para dizer isso ao gestor, você precisa ser extremamente corajoso e seguro de que a empresa valoriza sua permanência na equipe”. “É arriscado, mas fazer essa pergunta pode mudar a sua vida para melhor dali em diante”.

Fonte imagem: https://pixabay.com/

Fonte conteúdo: https://exame.abril.com.br/

Siga-nos 🙂

Karla Constantino

Mulher, mãe, bailarina, aventureira, amante por viagens, louca por novos desafios e apaixonada pela vida!

Um comentário em “Gestor abusivo!

  • 27 de agosto de 2018 em 14:53
    Permalink

    Valeu,isso ai,hoje em dia está mais fácil nos defendermos do que anos atrás,mais lógico que ainda existe chefes que se acham,cobram demais,gritam,querem fazer de nós suas escravas,não podemos permitir que isso aconteça nos dias de hoje,se com todas essas dicas esses chefes não mudarem não tenham medo denuciam põem a boca no trombone, pessoas assim morrem de medo de serem descobertos.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *