Guerra ao açúcar

Vamos começar com um pouco de história, para podermos entender o motivo do açúcar estar tão presente no nosso dia-a-dia. E entender um pouco do por que desta guerra.

Sua produção iniciou-se no seculo 16, sendo o Brasil, por muito tempo o maior exportador do mundo do produto. A confeitaria portuguesa, dada nossa característica de colonia, foi grande influenciadora do nosso paladar. Ele chegou a ser considerado a especiaria mais cara do mundo. De tal forma consumir açúcar é significado de status e prosperidade financeira. Ter um dente com cárie era o mesmo que ter um dente com piercing de diamantes.

Todo esse doce glamour durou décadas e até seculos. E somos todos descendentes culturalmente desta época e claro que ela reflete em nós até os dias de hoje.

Biologicamente o açúcar é visto pelo organismo como energia, energia pura, dai toda a empolgação e vontade que temos em continuar a comer doce, pois para o nosso cérebro, que não é diferente de nós e procura o caminho mais fácil para realizar cada tarefa, vê no açúcar a forma mais simples e fácil de ter energia. Ele também estimula em nosso organismo a produção do hormônio dopamina, que é o hormônio do prazer, dai o nosso vício por ele.

Nossa boca é composta também de milhares de papilas gustativas, que são micro poros capazes de sentir os sabores, que basicamente se dividem em doce, salgado, acido, amargo e alguns pesquisadores identificaram o umami e o aquoso. Esses pequenos poros são responsáveis por informar ao nosso cérebro o quão agradável é o alimento e eles são treinados ao longo da nossa vida, sendo mais ou menos capazes de suportar quantidades maiores ou menores de sabor. Observem uma criança quando ela pela primeira vez tem contato com açúcar puro, provavelmente ela fará muitas caretas, pois o sabor é muito intenso para ela, mas com o tempo, bombardeados por refrigerantes, doces e outros vamos treinando nossas papilas a suportarem cada vez mais açúcar. E este é o processo ruim e uma reeducação passa pelo processo inverso, de redução gradual e ai naturalmente desejaremos menos açúcar.

Bom, já entendemos culturalmente e biologicamente o motivo de gostarmos tanto dele, mas então qual o problema disso tudo? O problema é o processo químico para construção do açúcar refinado, que é o açúcar branco, que consumimos no dia-a-dia. O processo de refino que deixa o açúcar granulado e branco tira dele todos as vitaminas e minerais.

Quando for comer seu próximo doce, pense neste texto, e se proponha uma mudança.

ps: todas as imagens contidas neste texto são fontes naturais e mais sudáveis de açúcar 😉 #ficadica

 

Siga-nos 🙂

Autor: Junior de Castro

Viciado em pessoas, ainda em construção e sempre em busca de mais empatia. Cozinheiro, aprendiz de aquarela e com ideias para dividir :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *