Mulher “fácil” é mulher que não se dá o valor?

Ainda nos dias de hoje nos deparamos com situações constrangedoras, como por exemplo, em uma festa ver algumas mulheres que não se dão o seu devido valor e acabam sendo vistas como “fácil” pela sociedade. E a questão é: mulher “fácil” é mulher que não se dá o valor?

Primeiramente precisamos conceituar “mulher fácil”, que tem inúmeras interpretações, mas de maneira genérica podemos dizer que “mulher fácil” é uma mulher que não se dá o devido valor, que não se respeita, permite que todos tenham acesso a sua pessoa sem dificuldades. Normalmente são as mulheres que os homens buscam na balada, pois sempre estão acessíveis, aceitam qualquer convite, se vestem de maneira vulgar. E é bem complicado estas interpretações, porque pode ocorrer de uma mulher não ser “fácil”, mas pela forma de se comportar ou de se vestir acabe sendo rotulada como tal.

Tudo é uma questão de moral e maneira como cada mulher é criada e se comporta. Vamos descrever algumas mulheres do nosso dia a dia, que por mais que tenham características “fáceis”, nem sempre são:

1 – Oferecida – normalmente é considerada “dada” pelo sexo masculino, mas nem sempre é a sua intenção. Sempre se oferece para ajudar: é simpática e não tem medo de expor suas opiniões. Gostam de cumprimentar com beijos e abraços.

2 – Engraçada – adora rir das piadas alheias e também é boa em fazer piadas, às vezes pega “pesado” e por isto é considerada “fácil”.

3 – Embalada à vácuo – estas são o tipo que mais visivelmente são detectadas como “alvo fácil”, porque adoram se vestir com vestidos curtos e “embalados à vácuo”, mas muitas vezes são mais difíceis do que se pensa.

4 – Só anda com os homens – são as “brothers”, sempre andam com os homens, falam as mesmas besteiras e não estão nem ai para o que os outros pensam.

Enfim, é bem tênue este julgamento, acredito que podemos e devemos ser exatamente o que quisermos ser, mas precisamos estar cientes de que iremos enfrentar consequências dependendo da maneira como agimos ou nos vestimos. E ser confundida com uma mulher “fácil” não é agradável para ninguém, mas ai vem a pergunta: Será que vale a pensa mudarmos para que a sociedade nos aceite?

Acredito que mudar a nossa essência não é o caminho, mas podemos sim ter postura distinta de acordo com o ambiente que frequentamos. Se estamos no trabalho, podemos nos vestir mais formal e evitar falar muitas besteiras. Se estamos na balada, podemos sim nos vestir mais ousadas, mas sem sermos vulgar, isto nos permitirá ser admiradas sem ser confundidas com as mulheres que não se dão valor.

Se dar o devido valor só depende de você!

Siga-nos 🙂

Karla Constantino

Mulher, mãe, bailarina, aventureira, amante por viagens, louca por novos desafios e apaixonada pela vida!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *