A transformação de uma mulher em bailarina!

E de repente, como em um conto de fadas acontece a transformação de uma mulher em bailarina. Ela abre os olhos e não se reconhece mais, uma mudança que foi iniciada bem antes de tudo ser notado.

Tudo começa meio sem querer, a rotina de uma mulher é bem cansativa e depois de um dia de muito trabalho tudo o que ela deseja é um momento só dela, em que se sinta única, linda, especial, amada e é a hora que ela sai em busca de um resgate da sua identidade, muitas vezes perdida com o tempo. Ela encontra um lugar que à acolhe, uma escola de dança que a conduz a voltar a se admirar, que mostra à ela que é possível sim reconstruir uma mulher perdida ou até construir uma mulher que ainda não se encontrou, e aí começa uma transformação incrível da mulher em uma linda bailarina.

A dança tem um poder incrível e pode ser considerada um remédio para curar a alma! A mudança não acontece da noite para o dia, mas é como uma semente plantada, que com cuidado vai criando forças, crescendo e se fortalecendo a cada dia. O autoconhecimento, a postura, a pose para uma foto, o olhar, a auto estima, a motivação são algumas das mudanças que a mulher bailarina tem na sua vida. E por mais que ela se esconda, o universo a observará, pois a transformação em sua estrutura física, emocional e mental não terá como passar despercebida. Uma mulher que antes se achava feia, gorda, novinha, incapaz, agora enxerga em si qualidades incríveis, que à engrandece e reafirma a sua missão nessa vida.

E uma vez descoberta a bailarina de uma mulher ninguém é capaz de roubá-la. É uma nova identidade que é incorporada ao corpo físico. É um marco de liberdade que jamais será esquecido. É o fazer-se presente no universo, é impor-se e fazer o que a alma desejar, sem pudor, sem receio e sem sentimento de culpa.

Abaixo é possível sentir, através das sinceras palavras, a incrível transformação de mulheres em bailarinas, que descobriram na dança do ventre uma bailarina que as complementam e as tornam ainda mais poderosas, incríveis e cheias de vida:

Comecei a fazer dança do ventre em 2012 ,desde então começou uma grande transformação em minha vida em todos os aspectos, como mulher, esposa, mãe , triplicou minha auto estima, fiquei mais paciente e mais organizada, cheguei a tomar cinco antidepressivos e hoje não tomo nenhum. A Dança do Ventre me apresentou um universo de possibilidades e também pessoas e amizades maravilhosas para vida toda. Hoje sou Bailarina de Dança do Ventre e professora no Zahra Studio de dança do ventre em Brasília. #gratidao#belydancers#amigasqueadancauniu. [Monique]

 

A alma de uma bailarina jamais é esquecida no universo, pois ela carrega uma energia grandiosa que a faz ser tudo o que ela desejar! A dança para uma bailarina é a carga que ela precisa para se renovar a cada dia! [kadriya saidad]

Sinto uma grande transformação interna e externa. Mais confiança, criatividade e entrega. [Dulce]

Não acho seja uma transformação e sim um acréscimo. É o meu momento mas, não me considero uma bailarina…me falta muito.

Minha transformação em bailarina de dança do ventre começou com uma breve pesquisa sobre esse ritmo. Eu já havia passado pelo Jazz, pela ginástica rítmica e acrobática, pelo ballet. Provavelmente, a dança do ventre seria mais um ciclo, um curso que eu começaria e terminaria. Mas, quando pisei no estúdio de dança, dedicado totalmente à cultura árabe, me apaixonei. Foi uma sensação incrível, que mexeu com todos os sentidos. Os incensos eram bons, a música era boa, a decoração perfeita. E então eu comecei as aulas. Comecei e nunca parei. É um ciclo que não quero terminar. Hoje danço em palcos, restaurantes, eventos, competições e até fora do Estado. Fiz amizades incríveis e entendo melhor o universo do poder feminino. Enfim, o tempo vai me tornando cada vez mais capaz e apaixonada pela dança do ventre. [Luísa]

A bailarina e a mulher se complementam. A mulher é força, é multitarefa, é mãe, profissional, estudante. A bailarina é encantamento, beleza, é um personagem que inventamos e reiventamos. Não dá para subir no palco, pensando nos padrões que a sociedade nos impõe, é preciso se despir de qualquer pré julgamento, não pensar, deixar a música e a emoção nos levar, tocar cada instrumento com nosso corpo e assim tocar a alma de quem nos assiste. E o melhor quando tudo se funde a mulher e invande o espaço da bailarina, e a bailarina soma à mulher o encantamento e a sua autoestima. [Anna Kalila]

 

Siga-nos 🙂

A dança e a busca da sensualidade!

Muitas mulheres procuram a dança para se sentirem mais femininas, por isto a dança e a busca da sensualidade estão diretamente ligadas, permitindo uma imersão da mulher em um mundo totalmente voltado para ela.

A autoestima, o autoconhecimento e o empoderamento feminino são alguns dos benefícios que a dança traz para a vida das mulheres que se permitem vivenciar as mais incríveis experiências em prol a sua felicidade. Não importa a idade e nem a forma física, o que vale é a disposição em querer se sentir mais sensual, é se entregar em um mundo em que tudo é permitido.

E falando de sensualidade, a dança tem um papel fundamental, pois é capaz de despertar as várias mulheres que existem escondidas dentro de uma só. A busca pela sensualidade deve ser uma conquista diária e ser desenvolvida com muito cuidado, respeito e amor. Uma mulher que dança, descobre em si mesma que é capaz de ser o que bem desejar, que pode conquistar tudo ao seu redor e que o seu olhar, o seu corpo são ferramentas que lhe darão encorajamento para se sentirem ainda mais especiais e lindas.

Existem algumas mulheres que preferem colocar uma música em casa e se soltar e isto é muito válido também. Descobrir o potencial do corpo, perceber que a mente é capaz de tornar o seu corpo uma máquina de sensualidade é uma experiência incrível. Uma dica para descobrir a sensualidade através da dança, é colocar um música, fechar os olhos e sentir todas as emoções que a música lhe transmite e deixar fluir.

Dançar é poder ser quem você desejar ser, sem máscaras, sem receios. É se permitir conhecer a mulher que existe dentro de você e se auto conhecer de corpo e alma.

Fonte imagens: https://pixabay.com

Siga-nos 🙂

Explicando as enfermidades físicas!

Há algum tempo me questionei sobre o porquê que adoecemos, porque o nosso corpo de deteriora com doenças infinitas. As vezes acordamos bem e ao levantar já sentimos algo fora do lugar. Explicando as enfermidades físicas é um tema intrigante que nos leva a repensar sobre como estamos direcionando a nossa vida.

Achar que as enfermidades são castigos é um erro, o nosso corpo apenas nos avisa que algo está errado para que possamos entender que existe um conflito entre a personalidade e alma. É preciso sermos mais sinceros conosco, sentir, amar, chorar, rir. Parar de guardar rancor e aprender a perdoar. De vez em quando é importante darmos gritos, sair correndo para que a nossa alma de renove e possamos estar mais protegidos e preparados para enfrentar a vida.

O livro “Diga-me onde dói e eu te direi por que”, conta exatamente sobre o caminho que escolhemos trilhar na nossa vida e as consequências que o nosso corpo sofre dependendo do caminho escolhido.

“O Caminho da Vida é uma espécie de fio condutor que todo ser humano segue ao longo da sua existência. Podemos compará-lo ao roteiro de um Filme ou ao “livro de rota” dos pilotos de rali atuais. Seguiremos esse caminho usando um veículo particular que vem a ser o nosso corpo físico”.

A enfermidade é um conflito entre a personalidade e a alma.

O resfriado escorre quando o corpo não chora.

A dor de garganta entope quando não é possível comunicar as aflições.

O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.

O diabetes invade quando a solidão dói.

O corpo engorda quando a insatisfação aperta.

A dor de cabeça deprime quando as duvidas aumentam.

O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.

A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.

As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.

O peito aperta quando o orgulho escraviza.

A pressão sobe quando o medo aprisiona.

As neuroses paralisam quando a “criança interna” tiraniza.

A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade.

Os joelhos doem quando o orgulho não se dobra.

O câncer mata quando não se perdoa.

E as dores caladas? Como falam em nosso corpo!

A enfermidade não é má, ela avisa quando erramos a direção.

O caminho para a felicidade não é reto, existem curvas chamadas Equívocos.

Existem semáforos chamados Amigos.

Luzes de precaução chamadas Família.

Ajudará muito ter no caminho uma peça de reposição chamada Decisão.

Um potente motor chamado Amor.

Um bom seguro chamado FÉ.

Abundante combustível chamado Paciência.

“autor desconhecido”

Fonte imagens: https://pixabay.com/”diga onde dói que te direi porque”.

 

Siga-nos 🙂

Dança na melhor idade – uma experiência incrível!

Dançar já é um prazer imensurável, que apenas que tem a oportunidade de experimentar esta arte pode sentir. E dançar é para todas as idades! Vamos falar um pouco aqui sobre a dança na melhor idade e seus benefícios.

A dança na melhor idade já se tornou comum em várias cidades do Brasil, a iniciativa vem de diversas frentes que buscam ajudar a melhorar a saúde e estilo de vida de quem já viveu uma vida inteira e ainda tem sede em viver. Ter um lugar onde pessoas da melhor idade possam se encontrar para dançar é um presente para muitos que buscam se sentir melhor e querem construir novas amizades e até uma companhia para todos os dias.

A dança é um exercício que envolve o corpo e a alma!

O cérebro do idoso em conjunto com a dança permite um aumento sanguíneo em áreas esquecidas, permitindo que a concentração aumente, além dos estímulos aumentarem as conexões neurais, proporcionando maiores habilidades no aprendizado, raciocínio e na memória, reduzindo o estresse e a ansiedade.

“Além de exercitar o corpo, a agilidade, coordenação motora e equilíbrio, ela também exercita a mente, a atenção, a concentração e a memória. Diminui o estresse e a ansiedade, além de melhorar a auto-estima, porque a dança ajuda na percepção positiva do corpo”

E sem contar que quem dança é muito mais feliz. Ela aproxima almas e dá a oportunidade de uma vida muito mais plena. Exercitar o corpo, sentir prazer, conhecer pessoas, aumentar a auto estima, se realizar, se amar, se cuidar, dar boas risadas e dar um sentido maior a uma vida. Muitos idosos depois que iniciaram a prática da dança se redescobriram e isto não tem preço.

Fonte imagens: https://pixabay.com, https://dancacatarina.com

Siga-nos 🙂

A orquídea – conhecida como a planta da alma!

Cultivar uma orquídea deve ser um ato de amor e muita paciência, afinal ela é conhecida como a planta da alma, e todo o cuidado, dedicação e carinho que damos a ela é retribuído pelas belas folhagens que brotam e pelas maravilhosas flores que desabrocham.

Desde de quando eu era adolescente sempre me sentia atraída pelas orquídeas, ao ponto de fixar os meus olhos em suas cores exuberantes e entrar em um mundo desconhecido, onde todas as cores se espalhavam e todos os odores se misturavam formando uma só tonalidade e um só aroma. Para mim as orquídeas representavam o amor verdadeiro, sua exuberância e imponência se destacavam no meio de um todo, suas flores intactas e seguras se exibiam e pareciam pedir para que fossem cuidadas, uma beleza absurda, que muitas vezes parecia não ser real.

E foi em um dia de sol que ganhei a minha primeira orquídea, nossa, lembro-me como se fosse hoje, recebi aquela encantadora planta em minhas mãos, de cor azulada, caule enorme, uma imponência encantadora, com uma fragilidade sutil. Ao mesmo tempo que senti um ardor na minha alma, a minha mente sabia que eu estava recebendo uma missão enorme, pois cuidar e se dedicar a este planta era muito mais do que apenas regá-la, era preciso admirá-la, exaltá-la, ter toda paciência para entendê-la e, principalmente, respeitá-la.

E todos os dias executava a minha missão com êxito, mas ela nunca foi uma planta comum, ao tocá-la, o meu corpo tremia, tinha vontade de conversar com ela, um sentimento de calma e amor tomava conta do meu ser. Ela era muito especial, e tê-la nas minhas mãos me fazia me sentir repleta de amor.

Sim, as orquídeas tem o seu diferencial, mas não é só isto, elas não são escolhidas por você, elas te escolhem e te ensinam lições de amor, carinho, paciência que você irá levar por toda a sua vida. Não é à toa que elas são conhecidas como a planta da alma e ter uma experiência de conhecê-la, é vivenciar uma oportunidade única de reciprocidade.

Se ganhares uma orquídea, receba-a como se fosse o mais precioso presente, enviado especialmente para você.

Fonte imagens: https://pixabay.com

Siga-nos 🙂

A dança como combustível para uma vida mais feliz

Muitas pessoas acreditam que para ser feliz é necessário estar ao lado de pessoas felizes. Estar ao lado de pessoas felizes, pode sim nos motivar, mas não pode ser o único combustível para a nossa felicidade plena.

Screen Shot 2017-04-06 at 11.25.58 PM

Dentre tantas maneiras de encontrar a felicidade, descobri há alguns anos, uma porta mágica para que possamos produzir o nosso combustível diário de felicidade. E esta porta mágica chama-se dança. A dança desperta inúmeros sentimentos e nos leva a vivenciar um mundo mágico, onde nos tornamos artistas potenciais da nossa liberdade, da nossa autenticidade e é claro da nossa felicidade.

Screen Shot 2017-04-06 at 11.25.35 PM

Conheço pessoas que curaram doenças através da dança, como a depressão, síndrome do pânico, ansiedade, tristeza e assim fizeram utilizando os benefícios milagrosos desta arte, que não tem idade.

Na dança você tem a oportunidade de encontrar pessoas que irão compartilhar momentos ímpares com você, que estarão dispostas a se entregar por algumas horas a um mundo encantador. Não importa a sua idade, nem o motivo que te levou a dançar, quando a música começar, você será levado a um mundo de muita luz, calor, paz, felicidade, emoções, onde poderá desfrutar do mais alto grau da sua felicidade plena.

Screen Shot 2017-04-06 at 11.26.44 PM

E é incrível, porque quando dançamos a nossa alma se move, o mais íntimo do nosso ser é despertado e várias sensações incríveis nos convidam a vivenciar um momento único em nossa vida.

A primeira vez que pisei em um palco tinha apenas 7 anos de idade, e foi umas das melhores sensações que já pude vivenciar na minha vida. Lembro-me de cada detalhe, como a voz do apresentador anunciando o meu espetáculo, a minha professora me desejando boa sorte, minhas colegas com olhinhos brilhando, e as cortinas se abrindo. Uau!! O auditório estava transbordando de gente, todos os olhares eram para mim, o meu coração batia muito acelerado, a minha barriga doía de emoção, aos poucos fui envolvida por uma força inspiradora e ao escutar a música que iria dançar, simplesmente, dancei! E foi incrível, porque enquanto dançava, o meu corpo voava sobre o palco, a minha felicidade era tanta, que passava toda a minha vibração positiva para todos que me assistiam e tudo fazia sentido, tudo era leve, puro, real. E por fim, depois que fui tomada por toda a emoção desta arte incrível, a música acabou, eu agradeci, e a cortina se fechou. A experiência de dançar foi fantástica e desde aquele dia nunca mais me permitir parar de viver cada oportunidade que a dança me oferece.

Dançar permite a você:

  • Fazer novos amigos
  • Curar problemas da alma
  • Controlar a ansiedade
  • Diminuir o estresse
  • Aumentar a autoestima
  • Se amar ainda mais
  • Queimar calorias
  • Melhorar a capacidade sanguínea
  • Melhorar a flexibilidade
  • Tonificar os músculos
  • Ter mais tesão no sexo
  • Se descobrir como mulher
  • Melhorar o equilíbrio emocional
  • Envelhecer com mais saúde e felicidade
  • Conhecer o seu corpo

Screen Shot 2017-04-06 at 11.27.14 PM

A dança é sim um dos combustíveis para que você atinja a felicidade plena em todos os aspectos da sua vida e somente você pode dosar o quanto deste combustível quer injetar na sua vida.

Siga-nos 🙂