Explicando as enfermidades físicas!

Há algum tempo me questionei sobre o porquê que adoecemos, porque o nosso corpo de deteriora com doenças infinitas. As vezes acordamos bem e ao levantar já sentimos algo fora do lugar. Explicando as enfermidades físicas é um tema intrigante que nos leva a repensar sobre como estamos direcionando a nossa vida.

Achar que as enfermidades são castigos é um erro, o nosso corpo apenas nos avisa que algo está errado para que possamos entender que existe um conflito entre a personalidade e alma. É preciso sermos mais sinceros conosco, sentir, amar, chorar, rir. Parar de guardar rancor e aprender a perdoar. De vez em quando é importante darmos gritos, sair correndo para que a nossa alma de renove e possamos estar mais protegidos e preparados para enfrentar a vida.

O livro “Diga-me onde dói e eu te direi por que”, conta exatamente sobre o caminho que escolhemos trilhar na nossa vida e as consequências que o nosso corpo sofre dependendo do caminho escolhido.

“O Caminho da Vida é uma espécie de fio condutor que todo ser humano segue ao longo da sua existência. Podemos compará-lo ao roteiro de um Filme ou ao “livro de rota” dos pilotos de rali atuais. Seguiremos esse caminho usando um veículo particular que vem a ser o nosso corpo físico”.

A enfermidade é um conflito entre a personalidade e a alma.

O resfriado escorre quando o corpo não chora.

A dor de garganta entope quando não é possível comunicar as aflições.

O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.

O diabetes invade quando a solidão dói.

O corpo engorda quando a insatisfação aperta.

A dor de cabeça deprime quando as duvidas aumentam.

O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.

A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.

As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.

O peito aperta quando o orgulho escraviza.

A pressão sobe quando o medo aprisiona.

As neuroses paralisam quando a “criança interna” tiraniza.

A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade.

Os joelhos doem quando o orgulho não se dobra.

O câncer mata quando não se perdoa.

E as dores caladas? Como falam em nosso corpo!

A enfermidade não é má, ela avisa quando erramos a direção.

O caminho para a felicidade não é reto, existem curvas chamadas Equívocos.

Existem semáforos chamados Amigos.

Luzes de precaução chamadas Família.

Ajudará muito ter no caminho uma peça de reposição chamada Decisão.

Um potente motor chamado Amor.

Um bom seguro chamado FÉ.

Abundante combustível chamado Paciência.

“autor desconhecido”

Fonte imagens: https://pixabay.com/”diga onde dói que te direi porque”.

 

Siga-nos 🙂