O primeiro fio de cabelo branco!

E como uma mágica, você acorda, se olha no espelho e enxerga algo muito brilhante na sua cabeça, no começo não consegue identificar bem o que possa ser, mas de repente você o vê o primeiro fio de cabelo branco bem ali, grudado na sua cabeça. Ai meu Deus, o que fazer?

 

É desesperador, porque por mais que saibamos que a nossa hora de encontrar esse tão teimoso fio de cabelo branco irá chegar, quando nos deparamos com a realidade, é um choque. Não conseguimos acreditar que àquele fio está ali, todo branquinho, como se tivesse sido pintado a mão e a nossa primeira reação é arrancá-lo, e olhar bem para ele e dizer o quanto não o queremos ali. Depois do susto, parece que tudo vai voltar a ficar bem, até que você se olha no espelho e algo brilhante se destaca, e mesmo sem querer acreditar, sim, mais uma fio de cabelo branco está ali, se achando o dono da sua cabeça.

A verdade é dura, mas precisa ser aceita, sim tenho fios de cabelo brancos vivendo na minha cabeça, felizes e brilhosos. E se eu procurar mais, vou encontrar alguns outros fios, como se eles dessem cria, então, o que devo fazer? Vou confessar que a minha reação instintiva foi arrancar todos os fios brancos que fui encontrando, um a um, contei uns cinco, até que resolvi parar de arrancar e fazer àquela doce e sincera reflexão sobre o vida.

Parando para pensar friamente já vou fazer 34 anos, e é bem natural que esses temidos fios apareçam sim., então vamos viver esse momento também. Tê-los em nossa cabeça significa que já vivenciamos muito da vida, construimos uma história, tivemos muitos altos e baixos, construímos relações, ensinamos, aprendemos, brigamos, amamos, enfim, estamos preparadas para a próxima etapa, a da maturidade consolidada. Uma fase em que precisamos estar bem seguras e certas de quem somos, nos amar acima de tudo e principalmente nos aceitar. É uma fase de nos permitir viver dia a dia, todos os momentos e oportunidades, de não nos cobrarmos muito e ter como regra a felicidade. E com o tempo os fios brancos se tornarão apenas parte da nossa linda história de vida.

E é assim que pretendo viver daqui para frente, com alguns fios de cabelo branco brilhantes, mas a certeza de que sou a mulher mais realizada e feliz desse mundo.

Fonte imagens: https://pixabay.com

Siga-nos 🙂

Seja a sua melhor companhia e seja feliz!

Seja a sua melhor companhia e seja feliz! Ao longo da vida aprendemos que as nossas escolhas conduzem ao que será mais tarde a nossa própria história. E saber escolher as nossas companhias nesta trajetória é essencial para que possamos construir uma vida de paz e felicidade. De todas as companhias que a vida pode nos trazer, existe uma que nunca nos deixará e sempre irá querer a nossa felicidade, nós mesmos!

Durante a construção desta história somos expostas às diversas pessoas, que durante um período curto ou longo se tornam nossas companhias e que constroem um pedaço da nossa história. Companhias que nos serão apresentadas na escola, trabalho, bairro, grupo da igreja, escola de música, faculdade, enfim, pessoas que entrarão na nossa vida e contribuirão para a formação da nossa história perante à sociedade. Mas será que é possível escolher as pessoas que farão a diferença na nossa vida? Sim, o encontro é feito pelo universo, mas à escolha de compartilhar experiências é nossa.

De tantas companhias que passarão por nossa vida, aprender a ser a nossa melhor companhia é fundamental, porque estar rodeados de pessoas é importante, mas nem sempre será possível. Passamos por vários ciclos e um destes ciclos, temos o encontro de nós com nós mesmos, e neste momento precisamos estar bem azeitadas conosco e saber nos amar em primeiro lugar. É uma grande oportunidade de nos conhecer e fazer uma reflexão sobre como é incrível nos ter como uma companhia ímpar, especial e que ninguém poderá nos tirar.

Buscar a felicidade diária deve ser meta e ser feliz uma certeza!

Fonte imagens: https://pixabay.com

Siga-nos 🙂

Annita, beleza e celulite.

Em cada século padrões de beleza, comportamento e ética são criados, consolidados e aceitos. Com o passar do tempo esses padrões vêm se atualizando cada vez mais velozmente. Seguindo o ritmo de nossa sociedade. Esta consolidação passou de séculos para gerações, depois para décadas e hoje podemos ver até padrões nascendo, se consolidando e morrendo anualmente.

Os padrões atuais ainda cultuam mulheres impossíveis, de cinturas finíssimas, em comparação ao quadril. Quadril este, que deve ser avantajado, com bumbum redondo, quase na nuca e tão duro como um bíceps malhado. Os seios devem ser fartos e desrespeitar a gravidade. Os lábios precisam ser carnudos, as coxas grossas e musculosas. Ah, e não podemos esquecer dos cabelos, que devem ser lisos, brilhantes e com penteados de salão diariamente.

parabéns Anitta por se amar.

Para construir essa mulher impossível, abre-se mão de tempo, auto-amor e saúde. E a métrica usada para o sucesso é a quantidade de likes e comentários em cada post em uma das inúmeras redes sociais.

A busca incansável pela beleza, que é mutável a cada século, geração, ano ou circulo social, precisa ser observada sempre. Pois tem se tornado um cancerá e destruído principalmente as mulheres.

Afinal, o que é beleza?

“Apesar de não haver consenso sobre o que significa ser bela, por se tratar de um conceito subjetivo, o qual varia a cada cultura, já que a estética corporal é um elemento cultural que muda com cada representação de mundo (Queiroz & Otta, 2000)” – Corpos em revista: a construção de padrões de beleza na Vogue Brasil

E uma forma de ampliar nosso conceito de beleza é passar a consumir conteúdos os quais valorizem belezas naturais e respeitem o biótipo e as limitações sociais, culturais e humanas de cada um.

Pois como dito, na monografia de conclusão do curso de psicologia, O CORPO PERFEITO E SEU PROCESSO DE  CONSTRUÇÃO PSICO-SÓCIO-CULTURAL

“Na maioria das vezes, é mais fácil aceitar o que é imposto de fora, como aceitar os valores do outro do que enfrentar os fantasmas que circundam a singularidade de cada um. Desta forma alguns valores são compartilhados coletivamente sem respeitar a singularidade do sujeito, como por exemplo, a busca por um corpo tido como perfeito e idealizado pela sociedade.

Freud (1914) esclarece que o narcisismo do indivíduo surge deslocado em direção a um ego ideal. Considera que o sujeito na fase infantil, fixa um ideal em si mesmo e permanece em contato com seu ego real, mas com o tempo, com seu desenvolvimento, o sujeito começa a reconhecer idéias culturais e éticas como um padrão a ser seguido por si próprio, com base nas exigências impostas pelo meio externo.”

Deixamos abaixo alguns perfis, de pessoas humanas e naturais, que buscam uma beleza que respeita seus próprios corpos e o que elas são de verdade. Este é um convite a apreciarmos e a aceitarmos o natural de cada corpo.

https://www.instagram.com/nonairbrushedme

https://www.instagram.com/karinairby

https://www.instagram.com/japanesee

https://www.instagram.com/bebody_positive

 

 

 

 

 

Siga-nos 🙂

Inspiração para brilhar no palco!

Inspiração para brilhar no palco é um dos segredos de toda dançarina, que antes de se apresentar busca no fundo da sua alma uma inspiração que a move e a permite flutuar como se não tivesse amanhã.

Toda dançarina aprende desde os seus primeiros passos de dança que é preciso sentir a música e se entregar de corpo e alma. A técnica é muito importante, mas o deixar-se mover pelo ritmo, instrumentos, energia são fundamentais para que a dança seja a mais linda de ser executada.

A dança nos ensina que a postura é o portfólio para uma boa impressão no palco, que o sorriso é a comunicação sem fala com o público, que os braços são a moldura do corpo que dança, que a leveza de um giro é o momento de compartilhar as energias acumuladas, que o figurino e a maquiagem são o par perfeito de toda dançarina, e que a execução de uma coreografia ou improviso é a concretização de um trabalho entre o intelecto, corpo e alma, que juntos abrilhantam os olhos de quem vê.

E neste mundo da arte da dança, a inspiração é um artifício incrível para que a dança se torne ainda mais intensa e indiscritível. Existem as dançarinas que se inspiram em outras dançarinas; Outras se inspiram em grandes pensadores, que com os seus pensamentos levam o corpo a mover-se por si só; Outras a inspiração vem de lembranças da infância, onde momentos incríveis são resgatados e colocados na ponta dos pés, e assim por diante.

Se libertar e se entregar quando se dança é permitir-se voar sem ter asas, é compreender que o universo conspira a favor de quem acredita que tudo é possível com persistência e um coração repleto de paz e amor.

Inspiração significa buscar por algo que te motive a agir.

Fonte imagem: https://pixabay.com

Siga-nos 🙂

A transformação de uma mulher em bailarina!

E de repente, como em um conto de fadas acontece a transformação de uma mulher em bailarina. Ela abre os olhos e não se reconhece mais, uma mudança que foi iniciada bem antes de tudo ser notado.

Tudo começa meio sem querer, a rotina de uma mulher é bem cansativa e depois de um dia de muito trabalho tudo o que ela deseja é um momento só dela, em que se sinta única, linda, especial, amada e é a hora que ela sai em busca de um resgate da sua identidade, muitas vezes perdida com o tempo. Ela encontra um lugar que à acolhe, uma escola de dança que a conduz a voltar a se admirar, que mostra à ela que é possível sim reconstruir uma mulher perdida ou até construir uma mulher que ainda não se encontrou, e aí começa uma transformação incrível da mulher em uma linda bailarina.

A dança tem um poder incrível e pode ser considerada um remédio para curar a alma! A mudança não acontece da noite para o dia, mas é como uma semente plantada, que com cuidado vai criando forças, crescendo e se fortalecendo a cada dia. O autoconhecimento, a postura, a pose para uma foto, o olhar, a auto estima, a motivação são algumas das mudanças que a mulher bailarina tem na sua vida. E por mais que ela se esconda, o universo a observará, pois a transformação em sua estrutura física, emocional e mental não terá como passar despercebida. Uma mulher que antes se achava feia, gorda, novinha, incapaz, agora enxerga em si qualidades incríveis, que à engrandece e reafirma a sua missão nessa vida.

E uma vez descoberta a bailarina de uma mulher ninguém é capaz de roubá-la. É uma nova identidade que é incorporada ao corpo físico. É um marco de liberdade que jamais será esquecido. É o fazer-se presente no universo, é impor-se e fazer o que a alma desejar, sem pudor, sem receio e sem sentimento de culpa.

Abaixo é possível sentir, através das sinceras palavras, a incrível transformação de mulheres em bailarinas, que descobriram na dança do ventre uma bailarina que as complementam e as tornam ainda mais poderosas, incríveis e cheias de vida:

Comecei a fazer dança do ventre em 2012 ,desde então começou uma grande transformação em minha vida em todos os aspectos, como mulher, esposa, mãe , triplicou minha auto estima, fiquei mais paciente e mais organizada, cheguei a tomar cinco antidepressivos e hoje não tomo nenhum. A Dança do Ventre me apresentou um universo de possibilidades e também pessoas e amizades maravilhosas para vida toda. Hoje sou Bailarina de Dança do Ventre e professora no Zahra Studio de dança do ventre em Brasília. #gratidao#belydancers#amigasqueadancauniu. [Monique]

 

A alma de uma bailarina jamais é esquecida no universo, pois ela carrega uma energia grandiosa que a faz ser tudo o que ela desejar! A dança para uma bailarina é a carga que ela precisa para se renovar a cada dia! [kadriya saidad]

Sinto uma grande transformação interna e externa. Mais confiança, criatividade e entrega. [Dulce]

Não acho seja uma transformação e sim um acréscimo. É o meu momento mas, não me considero uma bailarina…me falta muito.

Minha transformação em bailarina de dança do ventre começou com uma breve pesquisa sobre esse ritmo. Eu já havia passado pelo Jazz, pela ginástica rítmica e acrobática, pelo ballet. Provavelmente, a dança do ventre seria mais um ciclo, um curso que eu começaria e terminaria. Mas, quando pisei no estúdio de dança, dedicado totalmente à cultura árabe, me apaixonei. Foi uma sensação incrível, que mexeu com todos os sentidos. Os incensos eram bons, a música era boa, a decoração perfeita. E então eu comecei as aulas. Comecei e nunca parei. É um ciclo que não quero terminar. Hoje danço em palcos, restaurantes, eventos, competições e até fora do Estado. Fiz amizades incríveis e entendo melhor o universo do poder feminino. Enfim, o tempo vai me tornando cada vez mais capaz e apaixonada pela dança do ventre. [Luísa]

A bailarina e a mulher se complementam. A mulher é força, é multitarefa, é mãe, profissional, estudante. A bailarina é encantamento, beleza, é um personagem que inventamos e reiventamos. Não dá para subir no palco, pensando nos padrões que a sociedade nos impõe, é preciso se despir de qualquer pré julgamento, não pensar, deixar a música e a emoção nos levar, tocar cada instrumento com nosso corpo e assim tocar a alma de quem nos assiste. E o melhor quando tudo se funde a mulher e invande o espaço da bailarina, e a bailarina soma à mulher o encantamento e a sua autoestima. [Anna Kalila]

 

Siga-nos 🙂

Desculpe, não quero ser uma princesa!

Desde crianças, somos tratadas como verdadeiras princesas. Vestidos rodados cor de rosa, penteados impecáveis, roupas caríssimas, babados, perfumes, glamour, festas chiquérrimas, bolos que nunca experimentamos, mas, desculpe, não quero ser uma princesa.

Não que ser tratada como uma princesa seja algo ruim, mas se esse tratamento fosse verdadeiro talvez nos agradaria. A questão é que a superficialidade do estereótipo social perante as mulheres se tornou tão banal, que elogios antes tão desejados e esperados se tornaram repulsas e motivos para não queremos mais tal codinome. Não nos importa o rótulo que nos dão, queremos ser chamadas por nossos nomes, ser admiradas pelas mulheres que somos, reconhecidas pela identidade que construímos ao longo da nossa vida.

Queremos receber flores sem ter data marcada, queremos sair de vestido longo sem precisar ter uma festa da alta sociedade. Se ser princesa é ter um príncipe que venha à cavalo e jure amor eterno, muito obrigada, mas preferimos continuar sendo quem somos, mulheres rebeldes, mães imperfeitas, adolescentes bipolares, filhas que questionam o porque da existência humana.

O universo ainda vai entender que as princesas que tanto são almejadas não existem de verdade, são mulheres fortes, sensíveis, que tem o poder em suas mãos de decidirem o que serão, como se vestirão e com quem andarão. Não queremos ser marionetes de uma sociedade imperfeita, não queremos ser o que outras pessoas desejam que sejamos, porque podemos ser princesas quando o nosso coração pedir e bruxas quando a nossa alma desejar, mas a nossa essência não mudará, somos quem podemos ser e somos quem queremos ser.

Então por favor, um pedido que fazemos, pare de nos chamar de princesas. Comece a nos admirar como parte de um sistema que pensa e use da mais pura sinceridade para se referir a nós, aí sim ficaremos felizes, pois a hipocrisia será deixada de lado e a sinceridade do amor extraordinário será colocado em prova.

Fonte imagens: https://pixabay.com

Siga-nos 🙂

Coletor menstrual, um avanço na vida das mulheres!

Falar deste tema sempre causa opiniões adversas, afinal a menstruação feminina ainda é um tabu para muitas mulheres. O coletor menstrual, um avanço na vida das mulheres veio para facilitar e tornar mais cômodo este “ritual” mensal que todas as mulheres enfrentam em suas vidas.

Mas afinal, o que é esse tal de coletor menstrual? Quando foi criado? Para que serve? Ele é conhecido como um “copinho” que foi criado para dar mais mobilidade e conforto para as mulheres. E por incrível que possa parecer a produção industrial dos coletores não é recente, começou em 1930. Hoje em dia o seu uso se tornou mais popular, graças à produção de materiais mais confortáveis e hipoalergênicos. E tem por objetivo coletar o sangue da menstruação da mulher, que deve ser esvaziado de 12 em 12 horas, no máximo, para higienização.

A propaganda boca a boca entre as mulheres que utilizaram o coletor fez com que este se tornasse cada dia mais popular, e o seu uso é bem simples, mas como tudo nesta vida existem vantagens e desvantagens, acompanhe:

Vantagens

  • Menor custo, uma vez que não precisa ser comprado mensalmente;
  • Dura até 10 anos;
  • Menor risco de infecções, se higienizado da maneira correta;
  • Conforto, uma vez que é inserido dentro do canal vaginal;
  • Sustentabilidade, já que é reutilizável e acaba com as embalagens plásticas.

Desvantagens

  • Adaptação, uma vez que muitas mulheres ainda precisam se acostumar a colocar e retirar o coletor do canal vaginal;
  • Contato com o sangue, é um método que necessariamente necessita que o sangue da menstruação seja visto, retirado e o coletor higienizado, logo para muitas mulheres ainda é uma dificuldade;
  • Local adequado para higienização, como o coletor necessita ser limpo com bastante agua, é viável andar com uma garrafa de agua para os casos de não haver um banheiro por perto, por exemplo.

 

Diante das vantagens e desvantagens do uso do coletor, você experimentaria esta inovação? Qual a sua opinião sobre o assunto? Compartilhe conosco e ajude mais e mais mulheres a superarem os tabus de uma sociedade cada vez mais moderna.

Fonte imagens: https://pixabay.com

Siga-nos 🙂

O poder das mulheres bem resolvidas!

Uma mulher por si só já é um ser incrível, mas o poder das mulheres bem resolvidas é indiscritível, pois permite que elas sejam tudo o que desejarem, no tempo que se permitirem ser. É saber lidar consigo mesmo em primeiro lugar, e com as diversas situações que o universo lhe apresentar.

Ser resolvida é estar de bem com a vida, é andar de cabeça erguida, é marcar uma viagem sem pedir permissão, é saber arcar com todas as consequências de suas ações, é não ter medo do novo, é dar a cara a tapa e superar os seus próprios limites, é colher o que plantou e continuar a plantar, dia a dia. É ser uma expert na cama, é ser uma profissional de sucesso, é ser uma mãe exemplar, é ser uma filha companheira. É ser consciente, mas arriscar sem ter medo de errar. É compreender que o sucesso sem felicidade é fracasso. É se permitir ser tudo que desejas ser. É cair e saber levantar mais forte. É ser uma mulher que resolve problemas, que pensa grande e positivamente. É seguir em frente, mesmo que a vida induza a fazer uma curva. É compartilhar suas experiências e se sentir com a missão cumprida perante à sociedade.

E quando falamos de mulheres bem resolvidas, estamos falando de uma margem da sociedade equivalente à 80%, isto quer dizer, que a cada dia mais as mulheres estão buscando ser independentes, ser donas do seu próprio presente e assim serem as únicas responsáveis pelo seu futuro. São mulheres que se juntam e se empoderam mutuamente. Estão dispostas a multiplicar os seus ideais, suas experiências e suas virtudes. São profissionais liberais, mães, estudantes, senhoras, casadas, solteiras, donas de casa, enfim, são todas que entenderam que o poder está em suas mãos, em todas as areas da vida.

Compreender que ser uma mulher resolvida é estar em constante aprendizado. É o primeiro passo para a sua liberdade. Se amar dia a dia, será o seu alimento para a construção de uma vida muito mais plena e feliz. Ter amigos ao seu redor com conteúdo agregador para compartilhar, será sua força externa que te dará mais bagagem e segurança para persistir. Estar perto de pessoas positivas e que querem ir sempre além, lhe permitirá seguir sempre em frente.

Acreditar que você pode tudo que desejar, é um grande passo para que a sua vida comece a ser transformada, experimente hoje essa mudança em você, o poder está em suas mãos!

Fonte imagens: https://pixabay.com

Siga-nos 🙂

A dança e a busca da sensualidade!

Muitas mulheres procuram a dança para se sentirem mais femininas, por isto a dança e a busca da sensualidade estão diretamente ligadas, permitindo uma imersão da mulher em um mundo totalmente voltado para ela.

A autoestima, o autoconhecimento e o empoderamento feminino são alguns dos benefícios que a dança traz para a vida das mulheres que se permitem vivenciar as mais incríveis experiências em prol a sua felicidade. Não importa a idade e nem a forma física, o que vale é a disposição em querer se sentir mais sensual, é se entregar em um mundo em que tudo é permitido.

E falando de sensualidade, a dança tem um papel fundamental, pois é capaz de despertar as várias mulheres que existem escondidas dentro de uma só. A busca pela sensualidade deve ser uma conquista diária e ser desenvolvida com muito cuidado, respeito e amor. Uma mulher que dança, descobre em si mesma que é capaz de ser o que bem desejar, que pode conquistar tudo ao seu redor e que o seu olhar, o seu corpo são ferramentas que lhe darão encorajamento para se sentirem ainda mais especiais e lindas.

Existem algumas mulheres que preferem colocar uma música em casa e se soltar e isto é muito válido também. Descobrir o potencial do corpo, perceber que a mente é capaz de tornar o seu corpo uma máquina de sensualidade é uma experiência incrível. Uma dica para descobrir a sensualidade através da dança, é colocar um música, fechar os olhos e sentir todas as emoções que a música lhe transmite e deixar fluir.

Dançar é poder ser quem você desejar ser, sem máscaras, sem receios. É se permitir conhecer a mulher que existe dentro de você e se auto conhecer de corpo e alma.

Fonte imagens: https://pixabay.com

Siga-nos 🙂

Livre, leve, solta e pronta para qualquer desafio!

Ser uma mulher livre, leve, solta e pronta para qualquer desafios é o sonho de toda mulher que acredita nela mesma em primeiro lugar, que não tem medo de sair da sua zona de conforto e experimentar novos desafios e novas emoções.

Como já dizia a música do nosso querido Martinho da Vila: “já tive mulheres de todas as cores, de várias idades, de muitos amores, com umas até certo tempo fiquei, pra outras apenas um pouco me dei…já tive mulheres do tipo atrevida, do tipo acanhada, do tipo vivida, casada carente, solteira feliz, já tive donzela e até meretriz…” Não importa que tipo você se enquadra, a questão aqui é se permitir viver tudo o que desejar viver, um dia de cada vez, com a certeza de que todos os momentos serão válidos, únicos e inesquecíveis.

Não existe preço que pague a liberdade de poder ser o que quisermos, e não estamos falando aqui apenas de mulheres solteiras. Ser livre, leve e solta deve ser para todas, solteiras, casadas, divorciadas, viúvas, novas, coroas, que tem dentro de si um desejo ardente de vivenciar todas as oportunidades que esse universo nos permite viver. Poder viajar sozinha, com as amigas, fazer um ensaio fotográfico sensual, beber em um bar, ir a um show tão sonhado, abrir um negócio, dançar, jogar pocker, pilotar uma moto, fazer uma tatuagem…enfim, vale tudo que nos faça feliz e não prejudique o próximo.

Quando experimentamos esta tal liberdade nunca mais nos permitimos estar sem ela, porque entendemos que estamos neste mundo de passagem e que grandes desafios e oportunidades só estão disponíveis para quem se permite experimentar.

Você pode ser mãe, filha, esposa e ser você mesma, acredite as pessoas admiram e muito quem consegue conciliar uma vida de poder fazer tudo, com responsabilidades de um papel escolhido na sociedade. Uma mãe que é bailarina, uma esposa que trabalha fora, uma filha que viaja o mundo sem destino, uma profissional que cuida da casa, todas elas são mulheres de respeito e que se permitem ser o que querem, sem que ninguém lhes diga o que é certo ou errado a fazer.

Experimente um dia comprar uma passagem de avião, e ir para aonde desejar. Descobrirás que quando se tem foco, vontade, desejo, liberdade, felicidade nunca estarás sozinha. A sensação de poder fazer as suas escolhas é indescritível, de poder sentar sozinha em um bar e pedir um drink, de poder ir à praia e ficar exposta ao sol, de sair na madrugada sem destino e voltar quando te der vontade.

Mulher você pode tudo basta ter atitude e motivação. Acredite em você, se ame e construirás uma vida muito mais livre, plena e divertida.

Fonte imagens: https://pixabay.com

Siga-nos 🙂