O que você faria se soubesse que irá morrer no dia 23/01/2021?

Guarde esse pensamento. Vamos caminhar um pouco antes de você expor sua resposta. Faremos este caminho a partir de uma pergunta semelhante. Se te contam o fim de um filme, ou se te dizem o que encontrará no fim de uma caminhada, o filme e a trilha já não fazem sentido?

O fim ou a chegada, muitas vezes parece ser a única parte que interessa na jornada, mas um filme fica distante de seu proposito se assistido somente pela ultima cena. Assim como um livro lido somente o último capítulo, porém uma trilha árdua e penosa pode ser substituída por uma carona e assim pode-se curtir de pronto a cachoeira que existe no fim, quase sem prejuízo, certo?

Afinal, o que difere as duas experiências, a cachoeira é boa com atalho e o filme não? Saltar todo o filme ou assisti-lo em modo acelerado para curtir apenas a ultima cena, onde toda a trama se resolve ou folear um livro e ler somente o último capítulo não é diferente de pegar uma carona para passar rapidamente pela trilha e viver apenas a cachoeira. O que se faz nas três experiências é deixar de viver completamente a jornada, valorando apenas o fim ou a chegada. Em tempos cada vez mais acelerados, a tentação de se pular etapas ou acelerar experiências é cada vez maior. A ânsia por chegar ao fim de algo, por acreditar que lá é onde se encontra a felicidade, o relaxamento, e a paz, faz com que deixemos de viver as belezas do dia-a-dia e o do caminho.

Logo, fazer as melhores escolhas é sempre importante, pois muitas vezes não poderemos caminhar todas as trilhas, nem ler todo os livros ou assistir a todos os filmes. Desta forma, nossa sugestão é: viva por inteiro as jornadas que você pode viver e aproveite as cachoeiras no fim da trilha. Nem sempre você poderá chegar a cachoeira pela trilha, por vezes precisará de carona e se esse momento chegar, curta a carona e no fim se esbalde na cachoeira. Todos os momentos podem ser incríveis, basta estar aberto a eles.

A chegada é um passo significativo, mas ela é só mais um passo da jornada e nem sempre é o maior ou mais importante.

Voltando a nossa pergunta do início. Acredito que se soubesse quando iria finalizar sua jornada nesta vida, você escolheria viver cada passo dela e não acelerar o filme para ver logo o fim.

 

Siga-nos 🙂