A crise dos sete anos de idade!

É uma grande verdade que a crise dos sete anos de idade existe e todos estão sujeitos a enfrentá-la, o que muda é como cada criança lida com a crise e principalmente a pós crise.

A primeira crise se dá quando ainda somos crianças, exatamente aos 7 anos. Uma série de transformações acontecem e uma nova fase se inicia. É o início de um novo ciclo, onde a responsabilidade escolar e social assume lugares de destaque na vida da criança e várias mudanças no cérebro ocorrem para que esta nova fase seja bem aproveitada.

É com sete anos de idade que a criança entende o que ela quer ou pelo menos acha que quer, sabe de tudo, é dominadora, gosta de ser desafiada, quer fazer tudo do seu jeito, não aceita quase nada sem se impor, tenta enganar as pessoas para não ficar para trás, necessita de aprovação, emocionalmente é bem sensível, demora para tomar decisões, a dúvida é sua grande aliada, quer ter tudo, está em plena adaptação entre dois mundos (sua casa e escola), pensa antes de responder uma pergunta, quer estar presentes nos assuntos dos adultos, deseja ser a primeira em tudo, começa a dar valor ao dinheiro e gosta de ser desafiada a economizar, não tolera críticas, ama elogios, tem noção do que é bom e o que é mau, aguenta o choro mais facilmente, é uma criança de sete anos no corpo de treze, é uma ótima companhia.

A criança de sete anos está pronta para tudo o que vier pela frente, é um momento em que os pais e a escola precisam estar muito atentos para dar todo o suporte necessário. É uma fase em que a criança é um pouco bipolar, as vezes apresenta uma agressividade nunca existente e logo em seguida volta a ser àquela criança doce e tranquila.

Os pais devem, mais do que nunca, reconhecer que os seus filhos estão passando por uma fase de transição de conduta e que a paciência, carinho e atenção precisam estar presentes. Pedir para que o seu filho ajude com tarefas simples da casa, fará ele se sentir importante e útil. Deixar a criança de castigo nesta fase não funciona, o segredo é uma boa conversa e  a apresentação dos pontos positivos e negativos de uma atitude tomada.

Os professores também tem um papel fundamental junto à criança, apresentando o respeito mútuo, a responsabilidade, à inclusão social e que nem sempre se pode ganhar, mas que precisamos aprender a competir e viver em sociedade.

Passado este fase um pouco de tranquilidade passa a reinar e a preparação para uma nova crise, aos quatorze anos de idade, começa a ganhar forma.

Toda fase pode ser superada com paciência, maturidade e muito carinho. Não desista do seu filho!

Fonte imagens: https://pixabay.com

Siga-nos 🙂

Mulher “fácil” é mulher que não se dá o valor?

Ainda nos dias de hoje nos deparamos com situações constrangedoras, como por exemplo, em uma festa ver algumas mulheres que não se dão o seu devido valor e acabam sendo vistas como “fácil” pela sociedade. E a questão é: mulher “fácil” é mulher que não se dá o valor?

Primeiramente precisamos conceituar “mulher fácil”, que tem inúmeras interpretações, mas de maneira genérica podemos dizer que “mulher fácil” é uma mulher que não se dá o devido valor, que não se respeita, permite que todos tenham acesso a sua pessoa sem dificuldades. Normalmente são as mulheres que os homens buscam na balada, pois sempre estão acessíveis, aceitam qualquer convite, se vestem de maneira vulgar. E é bem complicado estas interpretações, porque pode ocorrer de uma mulher não ser “fácil”, mas pela forma de se comportar ou de se vestir acabe sendo rotulada como tal.

Tudo é uma questão de moral e maneira como cada mulher é criada e se comporta. Vamos descrever algumas mulheres do nosso dia a dia, que por mais que tenham características “fáceis”, nem sempre são:

1 – Oferecida – normalmente é considerada “dada” pelo sexo masculino, mas nem sempre é a sua intenção. Sempre se oferece para ajudar: é simpática e não tem medo de expor suas opiniões. Gostam de cumprimentar com beijos e abraços.

2 – Engraçada – adora rir das piadas alheias e também é boa em fazer piadas, às vezes pega “pesado” e por isto é considerada “fácil”.

3 – Embalada à vácuo – estas são o tipo que mais visivelmente são detectadas como “alvo fácil”, porque adoram se vestir com vestidos curtos e “embalados à vácuo”, mas muitas vezes são mais difíceis do que se pensa.

4 – Só anda com os homens – são as “brothers”, sempre andam com os homens, falam as mesmas besteiras e não estão nem ai para o que os outros pensam.

Enfim, é bem tênue este julgamento, acredito que podemos e devemos ser exatamente o que quisermos ser, mas precisamos estar cientes de que iremos enfrentar consequências dependendo da maneira como agimos ou nos vestimos. E ser confundida com uma mulher “fácil” não é agradável para ninguém, mas ai vem a pergunta: Será que vale a pensa mudarmos para que a sociedade nos aceite?

Acredito que mudar a nossa essência não é o caminho, mas podemos sim ter postura distinta de acordo com o ambiente que frequentamos. Se estamos no trabalho, podemos nos vestir mais formal e evitar falar muitas besteiras. Se estamos na balada, podemos sim nos vestir mais ousadas, mas sem sermos vulgar, isto nos permitirá ser admiradas sem ser confundidas com as mulheres que não se dão valor.

Se dar o devido valor só depende de você!

Siga-nos 🙂

O verdadeiro valor do tempo para se viver melhor!

Quanto vale o meu tempo?  Esta é a primeira pergunta que devemos fazer ao acordar todos os dias. Falar em tempo é falar em segundos, minutos, horas, dias, meses, anos, é falar de uma “medida” que corre muito rápido e nos faz acreditar que tudo vale a pena se soubermos o real valor dele.

Fonte imagem: obviousmag.org

Vivemos em um mundo em que tudo é dominado pelo relógio. Tempo para acordar, para trabalhar, para plantar, para colher, para cultivar amigos, para ter filhos, para rir, para chorar, para planejar, para executar, para amar…e conseguir quantificar o valor do nosso tempo é uma medida estratégica para que vivamos uma vida muito mais compensadora e feliz.

Algumas pessoas não se importam muito com a hora que passa, e preferem deixar a vida guiar, o vento soprar, mas normalmente estas pessoas, quando chegam à uma certa idade, percebem que não souberam aproveitar o melhor da vida e se arrependem por não terem construído quase nada e mais ainda, se arrependem por não terem vivido o que tinha para se viver enquanto tinham tempo. “Ele” passou e nada mais se pode fazer para recuperar o que se perdeu.

Fonte imagem: blogdomenon.blogosfera.uol.com.br

Acredito que podemos sim aproveitar o nosso tempo e nos permitir ter uma vida repleta de boas realizações, mas para isto acredito ser necessário seguir alguns passos diários, são eles:

  • Acorde cedo – acordar cedo é sim um dos principais segredos para fazer o seu dia valer a pena. Quando começamos as nossas atividades do dia cedo, o dia se torna maior, e conseguimos fazer tudo o que planejamos e ainda temos tempo para fazer algo não esperado.
  • Faça exatamente o que deseja fazer – organize o seu dia e faça o que se propôs a fazer. Viva o hoje!
  • Esteja preparado para imprevistos – estar preparado para imprevistos não significa deixar tudo “solto”, mas ter espaço para encaixar alguma atividade que surgir, sem prejudicar o seu tempo.
  • Seja estratégico – para fazer o seu tempo render mais, é fundamental que todas as suas ações agreguem valor ao seu dia.
  • Organize o seu descanso – entre suas atividades do dia, tire um tempo para o seu descanso, isto é muito importante para que você fuja da rotina e tenha ainda mais qualidade de vida.
  • Não se acomode – procure fazer atividades inovadoras e que lhe dê prazer. O mais fácil é cairmos no comodismo, por isto mudar só depende de nós.
  • Não permita que ninguém tome conta do seu relógio – lembre-se que somente você é o responsável por gerenciar, da melhor maneira, o seu tempo.
  • Não tenha medo de errar – você só saberá que errou, se um dia tentar acertar. Deixar de fazer algo não irá parar o relógio.
  • Comece já – não deixe para amanhã o que pode fazer já, tenha compromisso com você mesmo e os seus dias serão muito mais valiosos.
  • Alimente sua energia diariamente – procure o que te faz bem e se alimente diariamente disto. Se você gosta de correr, corra. Se você gosta de dançar, dance. Se você gosta de ler livros, leia.

Uma vez li uma frase que dizia: “não deixe para fazer amanhã o que se pode fazer hoje” e se pararmos para refletir sobre esta frase, trata-se de valorizar o tempo e entender o quão precioso é aproveitar cada segundo e realizar hoje o desejado. “Ele” não para, então a lógica é não pararmos também.

Quando valorizamos o nosso tempo, conseguimos finalizar o nosso dia com a sensação de termos feito dois dias em um. Que possamos ter tempo para viver todas as nossas vontades, aventuras, inquietações e desejos, porque enquanto escrevo o tempo se encarrega de continuar a correr.

O Tempo (Mário Quintana)

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal…
Quando se vê, já terminou o ano…
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado…
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas…
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo…
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.

Fonte: http://bypoesia.blogspot.com.br/2009/03/o-tempo-mario-quintana.html

Siga-nos 🙂