O que você faria se soubesse que irá morrer no dia 23/01/2021?

Guarde esse pensamento. Vamos caminhar um pouco antes de você expor sua resposta. Faremos este caminho a partir de uma pergunta semelhante. Se te contam o fim de um filme, ou se te dizem o que encontrará no fim de uma caminhada, o filme e a trilha já não fazem sentido?

O fim ou a chegada, muitas vezes parece ser a única parte que interessa na jornada, mas um filme fica distante de seu proposito se assistido somente pela ultima cena. Assim como um livro lido somente o último capítulo, porém uma trilha árdua e penosa pode ser substituída por uma carona e assim pode-se curtir de pronto a cachoeira que existe no fim, quase sem prejuízo, certo?

Afinal, o que difere as duas experiências, a cachoeira é boa com atalho e o filme não? Saltar todo o filme ou assisti-lo em modo acelerado para curtir apenas a ultima cena, onde toda a trama se resolve ou folear um livro e ler somente o último capítulo não é diferente de pegar uma carona para passar rapidamente pela trilha e viver apenas a cachoeira. O que se faz nas três experiências é deixar de viver completamente a jornada, valorando apenas o fim ou a chegada. Em tempos cada vez mais acelerados, a tentação de se pular etapas ou acelerar experiências é cada vez maior. A ânsia por chegar ao fim de algo, por acreditar que lá é onde se encontra a felicidade, o relaxamento, e a paz, faz com que deixemos de viver as belezas do dia-a-dia e o do caminho.

Logo, fazer as melhores escolhas é sempre importante, pois muitas vezes não poderemos caminhar todas as trilhas, nem ler todo os livros ou assistir a todos os filmes. Desta forma, nossa sugestão é: viva por inteiro as jornadas que você pode viver e aproveite as cachoeiras no fim da trilha. Nem sempre você poderá chegar a cachoeira pela trilha, por vezes precisará de carona e se esse momento chegar, curta a carona e no fim se esbalde na cachoeira. Todos os momentos podem ser incríveis, basta estar aberto a eles.

A chegada é um passo significativo, mas ela é só mais um passo da jornada e nem sempre é o maior ou mais importante.

Voltando a nossa pergunta do início. Acredito que se soubesse quando iria finalizar sua jornada nesta vida, você escolheria viver cada passo dela e não acelerar o filme para ver logo o fim.

 

Siga-nos 🙂

O verdadeiro valor do tempo para se viver melhor!

Quanto vale o meu tempo?  Esta é a primeira pergunta que devemos fazer ao acordar todos os dias. Falar em tempo é falar em segundos, minutos, horas, dias, meses, anos, é falar de uma “medida” que corre muito rápido e nos faz acreditar que tudo vale a pena se soubermos o real valor dele.

Fonte imagem: obviousmag.org

Vivemos em um mundo em que tudo é dominado pelo relógio. Tempo para acordar, para trabalhar, para plantar, para colher, para cultivar amigos, para ter filhos, para rir, para chorar, para planejar, para executar, para amar…e conseguir quantificar o valor do nosso tempo é uma medida estratégica para que vivamos uma vida muito mais compensadora e feliz.

Algumas pessoas não se importam muito com a hora que passa, e preferem deixar a vida guiar, o vento soprar, mas normalmente estas pessoas, quando chegam à uma certa idade, percebem que não souberam aproveitar o melhor da vida e se arrependem por não terem construído quase nada e mais ainda, se arrependem por não terem vivido o que tinha para se viver enquanto tinham tempo. “Ele” passou e nada mais se pode fazer para recuperar o que se perdeu.

Fonte imagem: blogdomenon.blogosfera.uol.com.br

Acredito que podemos sim aproveitar o nosso tempo e nos permitir ter uma vida repleta de boas realizações, mas para isto acredito ser necessário seguir alguns passos diários, são eles:

  • Acorde cedo – acordar cedo é sim um dos principais segredos para fazer o seu dia valer a pena. Quando começamos as nossas atividades do dia cedo, o dia se torna maior, e conseguimos fazer tudo o que planejamos e ainda temos tempo para fazer algo não esperado.
  • Faça exatamente o que deseja fazer – organize o seu dia e faça o que se propôs a fazer. Viva o hoje!
  • Esteja preparado para imprevistos – estar preparado para imprevistos não significa deixar tudo “solto”, mas ter espaço para encaixar alguma atividade que surgir, sem prejudicar o seu tempo.
  • Seja estratégico – para fazer o seu tempo render mais, é fundamental que todas as suas ações agreguem valor ao seu dia.
  • Organize o seu descanso – entre suas atividades do dia, tire um tempo para o seu descanso, isto é muito importante para que você fuja da rotina e tenha ainda mais qualidade de vida.
  • Não se acomode – procure fazer atividades inovadoras e que lhe dê prazer. O mais fácil é cairmos no comodismo, por isto mudar só depende de nós.
  • Não permita que ninguém tome conta do seu relógio – lembre-se que somente você é o responsável por gerenciar, da melhor maneira, o seu tempo.
  • Não tenha medo de errar – você só saberá que errou, se um dia tentar acertar. Deixar de fazer algo não irá parar o relógio.
  • Comece já – não deixe para amanhã o que pode fazer já, tenha compromisso com você mesmo e os seus dias serão muito mais valiosos.
  • Alimente sua energia diariamente – procure o que te faz bem e se alimente diariamente disto. Se você gosta de correr, corra. Se você gosta de dançar, dance. Se você gosta de ler livros, leia.

Uma vez li uma frase que dizia: “não deixe para fazer amanhã o que se pode fazer hoje” e se pararmos para refletir sobre esta frase, trata-se de valorizar o tempo e entender o quão precioso é aproveitar cada segundo e realizar hoje o desejado. “Ele” não para, então a lógica é não pararmos também.

Quando valorizamos o nosso tempo, conseguimos finalizar o nosso dia com a sensação de termos feito dois dias em um. Que possamos ter tempo para viver todas as nossas vontades, aventuras, inquietações e desejos, porque enquanto escrevo o tempo se encarrega de continuar a correr.

O Tempo (Mário Quintana)

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal…
Quando se vê, já terminou o ano…
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado…
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas…
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo…
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.

Fonte: http://bypoesia.blogspot.com.br/2009/03/o-tempo-mario-quintana.html

Siga-nos 🙂