Os filhos crescem e as mães permanecem

Apenas compreendi sobre ter filhos, quando me tornei mãe, e antes deste momento ouvi de uma amiga: “os filhos crescem e as mães permanecem”, naquele dia não entendi muito bem o que aquelas palavras queriam dizer, mas quando a minha filha nasceu, soube exatamente o que significavam àquelas palavras tão doces e misteriosas. E a partir daquele momento fui descobrindo sobre a “saga” de ser e permanecer mãe.

Quando o nosso filho nasce uma sensação de “posse” toma conta de nós mamães, é algo sem controle, uma vida gerada no nosso ventre, nos faz ter a certeza que “ele” é só nosso e que nunca sairá dos nossos braços e nem do nosso alcance. Mas a verdade é que os filhos crescem e nós permanecemos, por isto é muito importante que aprendamos que os filhos são um “empréstimo” do universo, mas que não param de crescer, aprendem a cada dia a serem independentes e continuam a explorar o mundo. Eles “voam”, como nós um dia fizemos.

Se os filhos não param, nós mamães permanecemos no mesmo lugar, sempre à espera deles e em função deles. Ligamos, convidamos para almoçar, participantes de todas as suas redes sociais, adoramos ir nas festas com seus amigos, fazemos comidas gostosas, levamos a turma para o cinema, fazemos viagens juntos, enfim, fazemos de tudo para que eles estejam sempre ao nosso lado.

Mas chega o dia em que recebemos um “não” como resposta à um convite, e isto nos magoa profundamente, mas precisamos entender que os nossos filhos precisam continuar à construir a sua vida, e o nosso papel é orientá-los a seguir pelo caminho do bem, mas jamais freia-los.

Respeitar o ciclo da vida e sempre permanecer como mães, mas seguirmos com a nossa trajetória de vida, porque quando menos esperamos, tudo se finda.

A vontade de toda mãe é que o filho permaneça pequeno, em seus braços, sobre os seus olhares e dependentes de nós, mas não é o que a vida espera. Filhos são empréstimos do universo para nós, e somos sim privilegiadas por termos a oportunidade de cuidar deles, ensinando-os a amar, respeitar, estudar, trabalhar e a ter uma vida plena, mas chega a hora em que eles crescem, e enquanto eles continuam a caminhar em busca dos seus sonhos, nós devemos permanecer para que sejamos o porto seguro da vida deles.

Permanecer mães não é esperar sentada no sofá à volta deles, e sim vivenciar novas experiências, fazer amizades, descobrir novos lugares, se sentir amada e com a missão cumprida. Acreditem, um dia os filhos retornam, e é muito gratificante ver o que se tornaram.

Que possamos, enquanto mães, sermos fortes, racionais, equilibradas para cortar o cordão umbilical com os nossos filhos, mas tendo a certeza de que fizemos o nosso papel da melhor maneira possível.

Fonte imagens: https://pixabay.com

Siga-nos 🙂

Autor: Karla Constantino

Mulher, mãe, bailarina, aventureira, amante por viagens, louca por novos desafios e apaixonada pela vida!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *